carta amarela #78 – ciclos

imagem_cartas

Belo Horizonte, 25 de março de 2014

Queridos amigos,

Eu fico muito muito feliz com o carinho enorme que recebo aqui. Acho que assim como gentileza gera gentileza, afeto também gera afeto.

Esse blog nasceu de uma vontade infinita de poder compartilhar receitas, dizeres, sonhos, afetos. Eu tinha uma pequena fábrica de massas frescas em BH, e era minha forma singela de divulgar meu trabalho. Então nunca pude dizer que o blog era só um hobby. Até diminuí a frequência em escrever enquanto morei em Paris, e pensei em pará-lo. Acabou virando um ponto onde eu contava muitas das minhas experiências conhecendo o velho mundo, sempre tão novo pra mim. Foram assim que surgiram as cartas amarelas. Elas não surgiram, assim, do nada. Sempre fui de mandá-las a amigos há anos, mesmo que em intervalos muitas vezes esparsos.

carta78

Mas aí esse blog cresceu, cresceu. Eu não esperava muito esse crescimento. Ele tem uma visão um pouco restrita. Isso sempre foi claro pra mim. Eu não cozinho por cozinhar. Eu não consigo cozinhar sem música ou um pouco de diversão ao lado. Eu não consigo não fazer as coisas pensando no melhor delas. Eu falo de coisas que muitos não vão concordar também. Podem ser temas universais mas ele vem do fundo de uma pessoa. De mim. Eu não faço comidas de dietas, sempre me posicionei assim. Pra quem conhece o blog há menos tempo, eu só compartilho aqui receitas do meu dia a dia. É o que faço muitas vezes só pra eu comer. Faço pros meus amigos, faço pros meus pais e família. Eu não planejo uma receita só porque ela tem que ir pro blog. É simplesmente o que eu como. Talvez um dia vou postar só receitas de dieta. Pois talvez um dia um médico me mande parar de comer certas coisas. Talvez eu mesmo mude meus hábitos. A vida é assim, é feita de ciclos. Se o blog muda um pouco de vez em quando, isso também é reflexo da minha vida. Algumas coisas que postei aqui há mais de 3 anos talvez não sejam mais parte do que penso ou faço, mas não consigo não pensar que preciso evoluir. Fico feliz com quem me acompanha, com quem gosta. Sei que tem muitos blogs lindos por aí que vão ter receitas lights incríveis. Mas talvez por aqui que fiquem as receitas pra aquele dia especial. Um blog é um blog e se diferencia de um site pela maneira pessoal que ele é conduzido. Acho que a alma do moldando afeto é justamente a minha forma de ver a vida e minha forma de cozinhar. Não tenho a menor intenção de ser como os outros.

Hoje em dia não ganho dinheiro diretamente com o blog. Mas ganho indiretamente pois através dele ganhei vários clientes para os meus bolos. Ganhei contatos que me propiciam viver algumas coisas que gostaria. Mas também não estou fechado a propostas comerciais. Desde que elas estejam dentro do que for a essência daqui, do que falo e penso. Já recusei parceria com uma marca de chocolates que eu não gosto. Fiquei um pouco chateado com vários comentários na pesquisa de que o “blog virou comercial demais, que estou popularizando demais meu conteúdo”. Comercial onde? Cadê os anúncios? Popularizar onde? Não estou aqui continuando com minhas receitas gordinhas, sendo que hoje em dia o que o povo em sua maioria quer são receitas lights? Eu não consigo ver lógica em críticas assim. Tem gente que reclama a parceria com a Lu, que é isso que tornou comercial. Mas aí tenho dois pontos a dizer: Ela é minha amiga, a gente faz isso no maior clima de diversão. É uma delícia fazer O Chef e a Chata. Muita gente vivia me pedindo videos e eu mesmo adoraria fazer videos. Mas eles tem um custo um pouco alto pra ser feitos, e eu, como se pode ver, não tenho anúncios aqui e nem dinheiro pra poder bancar coisas assim. E foi, justamente por pedidos de videos aqui que achei que seria muito legal me juntar à uma pessoa querida que tem as condições de fazer isso pois ela sim tem todo um suporte pra isso.

Aproveito pra falar também sobre o meu livro ser independente. Cheguei a conversar com editoras, e uma delas que se interessou expressou que eu precisaria tirar as referências homossexuais do livro. Eu não consigo pensar em publicar um livro sobre minhas experiências e pensamentos na vida que não as tenha no meio. É parte da minha vida. Foi aí que percebi que seria um pouco difícil lançar um livro por uma editora, ao menos nas condições que encontrei ano passado: ele não ter a minha cara, ele não ser livre, sincero e do jeito que sou. Fazer um livro por conta própria tem dado um trabalhão desde junho passado. Reunir todo o material publicado, selecionar, agregar material novo que deixaria tudo ainda melhor. Editar esse texto todo, fazer todas as fotos. Ilustrar muitas receitas, escrever à mão muito da parte escrita do livro, ir atrás de fornecedores, reuniões com o designer (se eu fosse fazer tudo do projeto gráfico esse livro nunca ia sair, e quem o está fazendo é um amigo de muitos anos, o Italo do Estúdio Triciclo)… É um trabalho que nunca acaba. E que demanda muito dinheiro também. Foi nele que pensei em como eu podia responder uma solicitação de muita gente: As receitas ilustradas serão soltas, fora do livro. Serão colocadas em uma espécie de envelope que é parte da capa. Assim, quem as quiser no livro, estará sempre nesse envelope. Mas muita gente vai ter a oportunidade de poder emoldurar e pregá-las onde for. Detalhes como esse, na impressão, encarecem muito um projeto, e estou lutando para que o preço final do livro fique o mais justo possível, mas ele deve ter um valor parecido ao dos livros de culinária que vejo em livrarias, em torno de R$80,00 a R$90,00. Eu gostaria que o valor diminuísse, mas o preço unitário pra fazer cada livro desse tem passado os R$60,00. Claro, é uma tiragem baixa e com uma produção onde parte tem que ser produzida artesanalmente. Não tenho patrocínio, mas tenho tanta paixão pelo projeto que ela seguirá em frente como eu puder fazê-lo.

Vou continuar por aqui falando as coisas do meu coração. Tentando com bravura falar daquilo que tenho aprendido com a vida. Aprendi a querer menos. Já quis que as pessoas fossem mais gentis. Já quis que as ruas estivessem mais limpas. Já quis mais dias de sol. Já me frustrei por querer muito – e não fazer nada pra mudar isso. Então faço minha parte pra que as coisas sejam melhores – mas não espero que os outros o façam também. Dói menos. Aprendi a não estacionar. Quanto mais parado fico, menos objetivos consigo realizar. Aprendi a pedalar sem rodinhas. E nisso caí e quebrei o braço. E foi de braço quebrado que aprendi a andar de bicicleta. Não deveria ser assim, mas muitas vezes aprendo as coisas com a fratura ali, exposta. Aprendi que a vida precisa ser vivida com coragem, sempre.

Aprendi também que aprendo coisas novas todos os dias. E que ainda sei muito pouco. Mas desse muito pouco aprendi a fazer as coisas com afeto. E que assim, eu consigo seguir mais feliz. Eu não conheço ninguém que não erre na vida. Não sinto vergonha dos meus erros, a gente nunca vai aprender nada se não tentar. Sempre lembro do meu pai falando que ele já errou muito tentando me educar, mas que ele errou querendo o meu melhor. Não tenho dúvidas disso. Vou seguir fazendo o que sei fazer como sei fazer. Erros acontecem. E muitos acertos também. É com os erros e acertos que a gente chega lá. Por isso mesmo continuo tentando.

Um grande abraço, sem abarcar o mundo, mas mais consciente do meu próprio mundo,

Gui

Anúncios

Tags:

73 Respostas to “carta amarela #78 – ciclos”

  1. Says:

    Aplausos infinitos! Simples assim!

  2. May Says:

    Você não precisa ser “mais um”. Seu blog é lindo e as receitas maravilhosas!
    Cheguei até aqui através de post da Lu, não lembro se no instagram ou no facebook… Teria como não adorar a parceria de vocês?
    Parabéns pelos teus desenhos, as receitas, os textos, tudo.
    PS. Aguardo ansiosa o livro.
    😊😚

  3. alice Says:

    É isso aí Gui!👏👍😊😘

  4. marianapreta Says:

    “As receitas ilustradas serão soltas, fora do livro. Serão colocadas em uma espécie de envelope que é parte da capa. Assim, quem as quiser no livro, estará sempre nesse envelope. Mas muita gente vai ter a oportunidade de poder emoldurar e pregá-las onde for”. Ahhh, morri de felicidade agora! hahaha E confesso que depois disso, mal consegui prestar atenção ao resto. Quero esse livro JÁ! rs

    E admiro sempre essa coragem e persistência de ser quem você é. ponto

  5. Dani Casagrande Says:

    Eu acho que todo esse conceito de ficar comercial pode ter sido gerado pelas pessoas que criticaram não gostarem do blog dela. E isso é uma questão pessoal. É difícil tentar agradar a todos e sempre vai ter gente que prefere jogar um “balde de água fria” ao invés de elogiar a iniciativa, a qualidade do vídeo, etc.
    Não fique chateado com isso, quem lê o seu blog já te conhece e sabe dos seus princípios! Eu amei tudo, sempre me divirto vendo os vídeos e tenho certeza que, com o novo layout, muitas coisas boas vão aparecer!
    Curiosíssima com o livro! Vendo todo esse empenho me dá mais vontade ainda de o adquirir!
    Adoro seu blog, meus parabéns, sempre!
    Beijos!

    • gpoulain Says:

      eu acho que existe um preconceito enorme com blogueiras de moda num geral. não é preciso gostar ou não do dela pra gostar do meu, O Chef e a Chata é só um pedacinho em comum de um todo, que eu gosto e muita gente também. obrigado pelas palavras! beijo.

  6. Pri S. Says:

    Taí… Nessas horas eu gostaria de ser rica, ou ter mais contatos, enfim… Quando vejo uns projetos fofos, válidos, de gente legal e que não se vende…….puxa, como eu gostaria de ver mais coisas assim no mundo!

    Adoro suas cartas, suas receitas e adorei sua parceria com a Lu.

    Que vc consiga encontrar facilitadores para seus projetos e, acima de tudo, seja sempre feliz! 🙂

    • gpoulain Says:

      o livro vai sair de toda forma! adoraria que ele tivesse um preço menor, mas eu preciso fazer ele da melhor maneira que eu posso, e vai ser assim! continuo com a coragem! um beijo!

  7. Isadora Damasceno Says:

    Gui, o seu blog é literalmente um manjar… para a alma dos que lêem. Você escreve de uma forma tão pura, sincera e genuína que encanta. Acompanhando seu blog diariamente sinto como se você fosse um amigo de longa data que diz exatamente o que eu preciso ouvir sem nem me conhecer… Continue escrevendo com afeto! Viva a vida sem dar bola para a torcida…Dê bola para aqueles que seguram os pompons e vibram com sua vitória!! Luz e beijos na alma

  8. Helen F. Says:

    Continue em frente, mantenha sua essencia e seja feliz!

    P.s: quero comprar esse livro também, já pode fazer reserva? rsrs

  9. Sofia Says:

    E eu acho teu blog lindo e delicioso do jeito que é (embora a maior parte de minha vida eu tenha que comer receitas light, rs, são as tuas gordinhas que uso em momentos especiais!).
    Não sabia do projeto do livro, amei saber! Faço questão de ter um na minha prateleira (e na cozinha!).

    • gpoulain Says:

      sim! você é leitora antiga aqui e sempre foi um amor! seu que você é super team fitness e respeito isso, é seu jeito de viver, e você sempre dá um jeitinho, mesmo que mudando alguma coisa das receitas, de fazer do seu jeito. isso é super importante. eu tinha falado do livro pela primeira vez justamente no post da pesquisa!

  10. Michelle Campos Says:

    Ahh se no mundo houvessem mais pessoas assim….
    E eu também vou querer o livro, com certeza!!! 🙂

    Mil vezes parabéns!

  11. sofiarezende Says:

    Mudanças são sempre boas, mesmo quando são ruins, porque aprendemos algo. Vá em frente que tem muita gente te apoiando. O que importa é fazer com amor. E toda dieta tem um espaço para um doce gordo em algum momento rsrs. bjs da sua super fã!

  12. Juliana Araújo Says:

    Amo essas doses desmedidas de afeto que você deixa transbordar nas Cartas Amarelas… Sou leitora assídua, desde o tempo que você falava de moda masculina no blog da Chata! Seus trabalhos, escrita e posicionamento diante de algumas coisas da vida, me fazem admirá-lo ainda mais! Ficarei feliz em ter um exemplar deste seu lindo projeto na minha casa. Obrigada por nos envolver em sua delicadeza, querido Poulain!

    Não me resta dúvidas, que você colherá em grande safra, todo fruto desta dedicação.

    Sucesso!

  13. Luana Says:

    Gui, o seu blog simplesmente alegra a minha alma! Continue assim, do jeitinho que você é! Afeto e generosidade estão em falta no mundo, o que faz com que seu blog seja um deleite para seus leitores! Beijo grande e muita luz!

  14. Chris Vasques Says:

    Gui, sempre haverá um monte de gente para atirar pedras. Não podemos nos deixar atingir por isso. Seu blog é incrível do jeito que é, pois quando leio suas cartas amarelas tenho a sensação de que é um amigo desabafando ou me contando as alegrias e tristezas do dia a dia.
    Quanto ao livro, o que você faz é arte! Quem te segue aqui no blog e adora seu trabalho, como eu, não vai se importar em pagar um valor justo pra ter um pedacinho de você por perto, acessível a qualquer momento. Não vejo a hora de ter nas mãos esse livro, que tenho certeza, será tão lindo quanto você!!
    Vida longa ao Moldando Afeto!!!
    Bjs, querido!

  15. chvasques Says:

    Gui, sempre haverá um monte de gente para atirar pedras. Não podemos nos deixar atingir por isso. Seu blog é incrível do jeito que é, pois quando leio suas cartas amarelas tenho a sensação de que é um amigo desabafando ou me contando as alegrias e tristezas do dia a dia.
    Quanto ao livro, o que você faz é arte! Quem te segue aqui no blog e adora seu trabalho, como eu, não vai se importar em pagar um valor justo pra ter um pedacinho de você por perto, acessível a qualquer momento. Não vejo a hora de ter nas mãos esse livro, que tenho certeza, será tão lindo quanto você!!
    Vida longa ao Moldando Afeto!!!
    Bjs, querido!

  16. Lara Ribeiro Says:

    Gui, no momento tenho um sentimento de extrema indignação, quanta infelicidade das pessoas, quanta meu Deus, ao ponto de dizer que seu projeto com a Lu não ficou legal ou é ruim?????????????? De proporem criar um personagem pra você!!!!!!!!! Meu Deus como pessoas assim são carentes do que você mais prega, afeto, humildade, valorizar amizades, respeito, felicidade e amor…..
    Continue assim, lhe admiro muito, nunca se venda mesmo, se as pessoas, empresas ou editoras não aceitam e respeitam você, seu modo de vida, de pensar e agir, quem está perdendo são elas, seu trabalho é simplesmente maravilhoso, competente e muito bem feito. O mundo anda muito carente e tem precisado muito de pessoas como você, de atitudes como a sua, fazer o que ama, com entrega, dedicação e com a alma! Tenho certeza que Deus colocará pessoas magníficas e abençoadas no seu caminho, pessoas que veêm a vida como você: com amor, afeto, carinho, respeito, onde vocês desenvolverão uma linda parceria e infinitos projetos.. A maioria das pessoas “acham” que a vida é uma linha reta e nunca pensam que podem dormir de um jeito e acordar de outro bem diferente, que a vida dá muitas voltas. Que hoje quem está no topo amanhã pode estar no fundo do poço vice e versa! Continue sendo você, continue sua luta, que ela é inspiração pra nós, pincelando de doçura os nossos dias.. Parabéns pra você e pra Lu mais uma vez, estou amando as receitas e os vídeos, vou seguir vocês, fazer todas as receitas possíveis o tempo que for!!! Deus abençõe cada vez mais vocês.. Beijo no coração

    Lara

    • gpoulain Says:

      ei Lara! até respondi um e-mail seu agora mesmo, fiquei chateado que não poderei te atender. 😦

      muito obrigado pelas palavras, vou continuar assim mesmo. como eu disse no texto, é preciso coragem, e isso eu tenho sim! beijinhos

  17. Laira Ávila Says:

    =)

  18. Ana.. Says:

    Você é um mimo Gui…

  19. Pollyanna Guimarães Says:

    Como sempre, lindas e reflexivas (para mim mesma) sua Cartas Amarelas, cobertas por um sentimento de sinceridade doce e leve! Gui, eu não sei se já pensou ou fez isso, mas porque não coloca o projeto do seu livro no http://catarse.me/pt, aposto que te ajudaria e um monte de gente se interessaria!!!
    Beijos.

    • gpoulain Says:

      ei! eu conheço sim! eu tenho o dinheiro guardado na poupança que quero usar pra fazer o livro, então não usaria o catarse (até porque tem que dar 13% no fim das contas pra eles), porque acho que encareceria o livro, talvez. o que eu adoraria mesmo era ter um patrocínio X de alguma empresa, talvez, que pusesse a marca deles lá e que pagasse uma parte, e assim eu poder diminuir o preço final, eu não queria fazer um livro caro pra venda. mas seguirei em frente do mesmo jeito e o livro vai sair! 🙂

  20. Bela Says:

    Gui,
    Tudo feito com amor vale a pena!! Nunca mude por opiniões alheias, e não precisa se justificar tbem. Vou ser a primeira a comprar o seu livro! 😀
    Saudades! Adoro ler as suas cartinhas
    Bjos londrinos

  21. liviasalles Says:

    Você é forte Gui! Suas receitas são ótimas, continue assim, o mundo tem dois lados escolha o lado que lhe de força e pegue as críticas como um aprendizado. Bjo sucesso

  22. Rita Says:

    Sem mais palavras…você é demais!!!
    E fico muito feliz por seu livro estar no forno…eu fui uma das que vivia pediindo para você publicar.
    Não te conheço, mas te admiro muito…firme e sempre em frente.
    Abraços

  23. All We Need is Food Says:

    Oi Gui,
    Só para expressar meu apoio e admiração por você. Que você continue sempre assim, mas, claro, vivendo diferentes ciclos.
    Bjs,
    Le

  24. Ana Melo Says:

    Gui,

    Após ler sua linda carta tenho cada vez mais a certeza de que você é uma pessoa muito, muito, muito bacana!

    Adoro tudo no seu blog, especialmente o tom pessoal que você dá a ele. Acompanho pouquíssimos blogs e de diferentes assuntos. Mas posso dizer, seguramente, que o seu é o mais real. Falo de vida real mesmo! Você fala de sentimentos e opiniões reais. Fala de uma forma segura sobre diversos preconceitos. Você nos ensina uma cozinha possível. O que você escreve aproxima o leitor de você. É assim que me sinto: próxima de você! Acho porque compartilho muito do que você pensa.

    Quero dizer que tenho muito prazer em ler tudo o que você escreve! Siga em frente, sempre!

    PS: Super animada para conhecer seu livro!
    Bj e muito sucesso!

  25. alessandra Says:

    Parabéns ! Adoro te acompanhar e não vejo nada de comercial nos vídeos com a chata…ooops, Lu. Ainda acredito em ruas mais limpas e pessoas gentis, temos que acreditar!! E quando falas de cozinhar com prazer, ouvindo música, me vejo: cozinho com amor e buscando inspiração em blogs como o teu. Segue teu caminho.

  26. Déia Says:

    Nossa Gui, que lindo! Não tem como não te admirar mais a cada letrinha que vejo aqui no teu blog =)

  27. Mariana Says:

    Gui, é isso aí! Continue desse seu jeitinho que cativa todo mundo… Mlehor fazer o livro com um pouco mais de dificuldade do que ter que fazê-lo de outro jeito que não o seu, como se não fosse vc.
    Sempre fico com birra de quem reclama que alguma coisa “popularizou”, tipo quem gosta de uma banda e para de ouvi-la pq começou a tocar na rádio. É ótimo que mais pessoas tenham acesso a algo tão bom!!
    beijos

    • gpoulain Says:

      é! exatamente isso! vi isso em janeiro, quando a Globo colocou The XX na trilha de Amores Roubados e The XX ficou conhecido Brasil afora. muita gente que adorava eles torceu a cara pra isso. e aí eu não entendo! é egoísmo não querer que todo mundo conheça algo que a gente goste, né? 🙂

  28. laíza Says:

    torcendo muito pelo projeto do seu livro! até porque eu quero um exemplar ahaha! vc já considerou financiamento coletivo, tipo o catarse? eu mesma já comprei vários livros por lá. não sei se o sistema de recompensas se adequa ao seu projeto, mas é uma maneira de capitalizar a produção!

    “Aprendi a querer menos. Já quis que as pessoas fossem mais gentis. Já quis que as ruas estivessem mais limpas. Já quis mais dias de sol. Já me frustrei por querer muito – e não fazer nada pra mudar isso. Então faço minha parte pra que as coisas sejam melhores – mas não espero que os outros o façam também. Dói menos.” –> obrigada por reflexões como essa ❤

    um cheiro!

    • gpoulain Says:

      eu pensei sim, mas o problema não é exatamente financiar. isso, eu felizmente já juntei na minha poupança e tenho condições de realizar. mas é que com algum tipo de patrocínio o preço de produção cairia, e assim eu poderia ter um preço final mais baixo. é só isso que eu gostaria. o preço está justo, mas adoraria que ele fosse mais baixo. no catarse, por exemplo, a gente tem que dar 13% da arrecadação pro site, então acho que encareceria, sabe? é só isso. mas ele vai sair do mesmo jeito e todo lindo!

      um cheiro também!

  29. Talita M.V. Says:

    Eu aprendo tanto com esse blog! Sobre as críticas,não se abale. Eu decidi há pouco tempo parar de ler os comentários dos blogs que acompanho pq o povo anda escrevendo tanta bobagem, tem tanta agressão desnecessária,comentários infundados de gente que com certeza nem lê o blog em questão,só lê o título e vê a foto e sai disparando críticas. Enfim, isso me deixava chateada e decidi que não iria mais ler. Aí vem esse post… É sério,isso? Tão achando seu blog comercial???
    Qto ao livro,acho que vc tá no caminho certo, faça do seu jeito,com sua cara,como vc sempre faz tudo. e tudo fica lindo e dá certo.bjs.

    • gpoulain Says:

      é isso mesmo, e continuarei assim mesmo. é bom falar algumas vezes, ainda mais que muita gente chegou no blog recentemente e não conhece muito bem o que ele é e como ele é feito. beijo!

  30. fercout Says:

    Um abraço do tamanho do mundo pra você que merece demais. E tudo que tem conquistado é fruto do seu trabalho. Lindo! Lindo! Acompanho você há uns meses e a cada postagem me encanto mais. Quando o livro for publicado, convida a gente pra noite de autografos, queria muito de dar um abraço de verdade.
    Um abraço,

    Fernanda

  31. Marina Borges Says:

    Gui, pra cada um que te chama de “comercial” ou que pede pra você não se expor no livro, tem mais 10, 20 querendo ler seu blog e seu livro exatamente do jeitinho que eles são. Não se acanhe e continue no seu caminho. Seu blog começou com afeto, você espalha afeto nos posts. Desse sentimento bom que você espalha voltam muitos retornos bons. Espero continuar te lendo por um bom tempo. 🙂

  32. Vanessa M. Says:

    Fiquei triste de ler essa carta, não por você,mas pela maldade das pessoas, por esse excesso de procrastinação que há na internet hoje em dia, se você não gosta de algo, abra outra aba e siga em frente, ninguém é obrigado a ler, ver ou interagir com conteúdo algum. Mas não fique assim, sinceramente não acho seu blog comercial e mesmo se o fosse, acho que quem lê (mesmo leitores recentes como eu – que vim do Chata) percebe a autenticidade do seu trabalho, atenha-se a ela como você tem feito, quem gosta do blog e das suas receitas vai continuar vindo aqui não importa o caminho pelo qual você enverede, afinal de contas, quem gosta de verdade sabe que nada é definitivo, toda mudança é bem vinda e necessária, se não tudo vira rotina e a rotina é algo chato, que eu pelo fujo quando leio suas reflexões de perspectivas tão similares e diferentes das minhas. Que Deus ilumine seu caminho e que o livro seja um sucesso, já vou começar um cofrinho pra poder comprar a minha cópia e umas molduras, adorei essa ideia de folhas soltas, é esse tipo de coisa que faz toda a diferença. Quem critica com amor faz a gente crescer, sempre. Quem não, não importa realmente, chateia, mas é igual a chuva de verão, passa rápido.

    Beijo enorme Gui!

    • gpoulain Says:

      eu penso exatamente isso! cheguei a escrever uma frase na carta que era: se você não gosta daqui, ou já gostou e não gosta mais, pode parar de me ler. mas achei meio grossa e resolvi retirar. é porque é assim pra mim. caio em umas páginas, leio e não gosto. eu não preciso comentar nada, é só eu não voltar ali, não ler mais. nunca vou entender essas pessoas que param pra dizer grosserias. se o blog está aqui, tem comentários, fãs na fan page, etc, é sinal que tem gente que gosta. existe público pra tudo né? por isso prefiro colocar críticas sempre positivas. se eu fui num restaurante e não gostei, não vou publicar aqui, simples assim. se eu gostei, aí sim, eu faço um “de comer”. deixo as críticas negativas pra outras pessoas. vai que fui num restaurante e só naquele dia dei um azar danado da comida não ter saído legal? prefiro só não comentar nada. acho que devia ser assim pra todo mundo. dou meu exemplo, faço da minha forma. e fico feliz de ver tanta gente carinhosa que também pensa formas de deixar o mundo mais leve e com mais afeto. beijo enorme também!

  33. Andreia Ferreira Says:

    Eu adoro comer, aprender, sonhar… Ao ler esse blog eu SINTO a poesia que é algo maior do que a receita em si…
    Parabéns em ser firme em seus credos. E quem não está feliz, que procure outros portos… Grande abraço pra ti! AF.

  34. Helena Says:

    Adoro esses seus textos tão sinceros e delicados.
    Lembrei de um vídeo do Craig Mod falando um pouco dos livros que ele produz http://vimeo.com/16396386
    Faça o que você ama e acredita, sempre… pode ter certeza que já tem muitos leitores garantidos!

    Ah! “Aprendi a não estacionar. Quanto mais parado fico, menos objetivos consigo realizar.” Obrigada pelas palavras! Era o que eu estava precisando escutar e ter coragem para mudar algumas coisas!

    • gpoulain Says:

      que incrível ter visto esse video! muito obrigado por compartilhar. acredito nisso também. não quero lançar um livro por lançar, mas que ele seja um material muito bem pensado, muito bacana, com qualidade incrível e que reflita o que eu realmente penso. um abraço!

  35. Cecília Carvalho Says:

    “Aprendi a querer menos. Já quis que as pessoas fossem mais gentis. Já quis que as ruas estivessem mais limpas. Já quis mais dias de sol. Já me frustrei por querer muito – e não fazer nada pra mudar isso. Então faço minha parte pra que as coisas sejam melhores – mas não espero que os outros o façam também. Dói menos. Aprendi a não estacionar. Quanto mais parado fico, menos objetivos consigo realizar. Aprendi a pedalar sem rodinhas. E nisso caí e quebrei o braço. E foi de braço quebrado que aprendi a andar de bicicleta. Não deveria ser assim, mas muitas vezes aprendo as coisas com a fratura ali, exposta. Aprendi que a vida precisa ser vivida com coragem, sempre.”

    AMEI! Perfeito!

  36. Luciana Says:

    Guilherme, nem me lembro mais como conheci seu blog. Não faz muito tempo, mas a sensação é de que ele está nos meus favoritos há anos! Eu precisava dar um presente para as minhas sobrinhas gêmeas e estava muito sem grana e quando vi o vídeo das bolachas de nutella pensei – por que não? Se eu tivesse apenas lido a receita muito provavelmente não teria feito, mas o vídeo me animou. Fiz as bolachas, caprichei nos potes e dei os presentes. Confesso que fiquei um pouco insegura, mas o brilho nos olhos das meninas e a imagem da primeira mordida serão sempre uma grande lembrança na minha vida. Nesta vida tão corrida, já havia me esquecido destas pequenas demonstrações de amor. Muito obrigada por compartilhar uma experiência de vida tão rica, ora com suas receitas, ora com suas impressões da vida… Um grande abraço da também Lu.

  37. bialauriano Says:

    Gui, (assim mesmo como se fôssemos íntimos) fico cada vez mais encantada e dependente do blog, dos seus posts e encantada com sua força de vontade e atitude. Você eh uma pessoa q me motiva muito, mesmo sem te conhecer. Confesso q não concordo com absolutamente tudo q vc diz, mas isso nao me faz deixar de gostar daquilo q concordo. Fico encabulada com a maldade de certas pessoas por ter coragem de dizer coisas tao horríveis, pra mim isso nao eh crítica, eh maldade mesmo. Crítica tem pelo menos um pouquinho de intenção de nos fazer melhores e não essa visão destrutiva. Mas não se preocupe, cada um só oferece o que tem, isso só mostra como as pessoas estão cada vez mais vazias, egoístas e incomodadas com o crescimento dos outros. Quero muito um livro seu, ainda mais com essas gravuras lindas e receitas de babar! Continue com esse humor refinado e sendo essa pessoa leve e verdadeira q transparece ser. No fundo no fundo, a felicidade da gente incomoda mesmo, sorry! Beijos d quem admira muito seus projetos e torce p dar certo!

  38. meninamenina Says:

    Gente, que coisa mais linda de se ler!! Hoje é a primeira vez que vejo seu blog, normalmente não me interesso por nada relacionado a culinária, mas através do casa aberta te achei aqui, coisa mais linda, cada palavra um sentimento bom e diferente, parabéns! Já virou inspiração e um dos meus preferidos, presença sempre confirmada agora por aqui.

  39. Lara Torrezan Says:

    Gui, seu lindo e querido, espero com ansiedade esse seu livro que vai ser recheado de lindeza e afeto. Nossa individualidade é pautada em nossas diferenças e você é único por ser do seu jeitinho, e é assim que você conquista tantos amores pelo mundo, inclusive pelo mundo virtual. Um cheiro afetuoso ❤

  40. Stephanie Saito Says:

    Não mude nunca Gui.
    Estou ansiosa pelo livro, se for preciso, vou até BH só para comprá-lo.
    Enquanto eu lia esse post coincidentemente estava ouvindo uma banda chamada Capela e lembrei que uma das músicas se chama Ciclo (http://youtu.be/wCOh18SihuQ), talvez você goste 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: