carta amarela #54 – desabafo

imagem_cartas

Belo Horizonte, 16 de maio de 2013

Queridos amigos,

Confesso. Tenho ficado irritado com alguns comentários que recebo. Uns comentários do tipo: “Ah, receita com fritura de novo?”, “E esse bolo gordo, quanta manteiga! Quero um bolo saudável”. Vou explicar uma coisa: Todas as receitas que posto aqui são receitas que eu faço no dia a dia da minha casa. Eu abro a geladeira e resolvo: O que posso fazer com o que tenho aqui? E todas elas são feitas da forma que eu acho melhor. Faço fritura de vez em quando em casa? Sim. Amo batata, mandioca e peixe frito, mesmo que eu opte várias vezes por fazê-los de forma diferente. Os melhores bolos vão muita manteiga? Vão. Ao mesmo tempo tenho várias receitas de saladas e sopas leves, porque eu também amo comer isso? Amo.

carta54

Algo que me incomoda muito no Brasil é o culto ao corpo. Com a desculpa de levar uma vida saudável vejo pessoas e mais pessoas passando a vida na academia e comendo salada. Se você está feliz com isso, ótimo, mas não é pra mim. Inspiro-me muito com o que vivi em Paris. Poucas pessoas vão à academia. Mas ao invés de pegar o carro pra ir a todo lugar, eles vão de bicicleta. Eles vão a pé. Isso já não é um ótimo exercício? Eu mesmo sou um apaixonado por pilates. Me faz sentir bem comigo mesmo, ao contrário das inúmeras repetições que eu fazia na academia. Amo andar a pé. Foi assim que eu descobri vários cantinhos de BH, de Paris, de Buenos Aires.

E quanto a comida saudável? Conheço várias pessoas que vivem de regime, se entupindo de produtos que compram em lojas de produtos saudáveis. Dia desses bati o olho numa tabela nutricional de torradas sem glúten e quase caí de costas com a quantidade de sódio e açúcares. Em vez de comer isso, que tal um pãozinho ou biscoito feito em casa? Tenho aprendido que a comida mais saudável que posso comer é a feita em casa. É a que tem menos sódio, açúcares e que eu sei dosar bonitinho a quantidade de manteiga ou azeite que ponho. Meus doces não tem quase nada de açúcar. Meus pratos salgados, pouquinho sal. Eu mesmo faço os caldos de carne, frango e legumes daqui de casa. Você pode dizer: não tenho tempo pra isso. Mas tempo pra passar 8 horas na academia por semana você tem? O meu maior prazer na vida é comer bem, e foi isso que instituí na minha alimentação. Eu mesmo decidi praticamente parar de tomar refrigerante porque eu sentia meu estômago pesado ao tomá-lo. Mas não vou deixar de comer frituras de vez em quando. Não acho certo quem só vive de comer gorduras, frituras, refrigerantes e coisas não saudáveis, porque aí sim acho que é uma destruição ao próprio corpo. Mas acho que hoje em dia a gente chegou no excesso da “saudavelização da vida”. E só viver de salada e exercícios físicos pra mim, não é ser saudável.

Eu me sinto bonito em poder comer um prato de coxinhas e sorrir ao me sentir empanturrado. Eu me sinto bonito com alguns pneuzinhos. Minha avó morreu feliz, diabética, comendo doces todos os dias. Eu posso até morrer mais cedo pelas opções que faço ao comer, mas sei que estarei feliz assim. Pra mim importa a saúde, mas importa mesmo é ter equilíbrio. Sei que muitos de vocês vão discordar, mas estou realmente cansado de gente dizendo o que eu devo comer ou não. Se a Nigella se sente feliz ao encher a comida de manteiga porque ela se sente com a pele e cabelos “hidratados por dentro”, por que não? São tantas tristezas na vida, se eu posso ser feliz, eu serei. E a felicidade pra mim muitas vezes é um pratão de feijão tropeiro, couve, arroz e costelinha. Com uma cervejinha do lado.

Como diria o Jô, um beijo do gordo!

Gui

Anúncios

Tags:

53 Respostas to “carta amarela #54 – desabafo”

  1. Jussara Tuma. Says:

    Meu Deus!!! Parece que você entrou nos rascunhos de posts do meu blog e leu um que está lá, ainda inacabado… Eu estava escrevendo EXATAMENTE SOBRE ISSO.
    Eu sou geração saúde e adoro uma comidinha saudável? Sim! Como arroz integral com grãos PORQUE EU GOSTO, macarrão de arroz, PORQUE EU GOSTO, e me afundo numa panela de brigadeiro, PORQUE EU GOSTO.
    Finalizo meus pratos com manteiga, de preferência clarificada, pelo simples fato de ser muito mais saboroso que margarina light.
    Preparo bolos, cheesecakes, não dispenso uma batata frita.
    Não tomo refrigerantes porque não gosto, mas também não sou radical.
    Não deixo de tomar meu vinho, especialmente nas noites de sexta-feira, cozinhando junto com o meu marido.
    Corro, nado, faço musculação e pilates. Amo essa vida saudável. Não quero ser gorda, quero me manter “em forma”, mas muito mais do que isso, quero aproveitar os prazeres da vida e acho que preparar uma comida gostosa e degustar com os que você ama é algo que NÃO TEM PREÇO!
    O que me inspirou a começar esse meu post ainda inacabado foi um livro que você certamente já leu: “O homem que comeu de tudo”. E nele, fala-se justamente dos parisienses, que comem queijo gorduroso e tomam litros de vinho, e ainda assim vivem mais e com muito mais saúde… Porque? Por vários motivos, mas acho que o maior dele é VIVER SEM NEURAS!
    Super compartilho do seu desabafo… acho que depois dessa, vou terminar meu post!
    (desculpa pelo comentário enorme, mas me identifiquei demais!!!)

  2. Paulo André Says:

    Concordo contigo – ontem entrei num site com dicas sobre alimentos processados e os comentários eram de um teor altamente agressivos. Xingavam a nutricionista – a sociedade está assim: leem pouco, pensam pouco, gozam pouco, comem pouco e disparam as frustrações. Acho mais simples selecionar o que se quer fazer e pronto. Abrs e vamos comer.

  3. Cristina Says:

    Eu amoooo costelinha! E como viver sem bacon, fritura e manteiga???
    Concordo com você, Gui, as pessoas estão muito bitoladas nessa onda de shakes de proteínas, bolachinhas diet e, na verdade, nem sabem o que estão comendo.
    Todo mundo pode se cuidar e manter alimentação saudável sem abrir mão do prazer de comer.
    Vamos lançar o slogan “coma com moderação” e seja feliz!
    beijo

  4. Jay (Jéssica Cirino) Says:

    Gui, nunca concordei com algo na minha vida tanto quanto concordei com esse seu desabafo! Penso exatamente a mesma coisa!
    O pessoal até reclama comigo, dizendo que eu defendo a comilança porque sou magra, mas não. Acho que comer é um dos maiores prazeres da vida e essa experiência precisa ir além daquilo que engorda ou não.
    Adoro um belo brownie, feito com muita manteiga e chocolate (e amor), a batata assada com enlouquecedoras quantidades de creme de leite e parmesão, e por aí vai… Ai, como isso me deixa feliz! 🙂
    Continue com as receitinhas “gordas” e deixe os saudáveis malhando, hehe.

    Bjs,
    Jay.

  5. Thiago Caixeta Says:

    Gracinha!!! Arrasou!!! :*

  6. Fabiana Says:

    Concordo em gênero, número e grau! Hoje em dia tenho me sentido constrangida ao convidar amigos para jantar em casa. É tanto julgamento, tanta pergunta sobre os ingredientes e tanto medo de engordar que o prazer vai embora: o deles e o meu, que preparei tudo pra gente ter momentos felizes juntos. Outra questão que me aflige é o fato de quase todas as minhas amigas, à mesa, falarem sobre regime. Ando concluindo que as brasileiras no geral tem esse pavor de engordar por um motivo bem simples: magreza é tudo que elas têm a oferecer, e, assim, não dá pra ficar sem isso! Ninguém mais fala sobre cursos, sobre idéias, sobre como trocar experiências, no máximo, o que se troca hoje são receitas contendo wheyprotein e cisteína. Fica difícil ser diferente. Porém, é imensamente gratificante pensar que mais gente se espanta com essa lógica atual. Obrigada por pensar, fazer e dividir tanto com pessoas que você nem conhece! Mesmo virtualmente, aceito cada pedacinho desse tanto de coisa boa que você oferece por aqui! Bjos! Ps: Eu que encomendei sua torta de chocolate com nutella, e gostei muito, por sinal!

  7. Says:

    Meu Deus, que coisa maravilhosa de se ler! Concordo plenamente. Um brinde pra quem gosta de viver bem e sabe que sinônimo disso é comer bem!

  8. Marina Says:

    Amém!

    Eu estou super controlando meu peso, fiz algumas reduções, mas sempre com inteligência. Parece que ser saudável é abdicar de tudo que é gostoso. Ser saudável inclui coisas calóricas, oras bolas. Saúde tem a ver com diversidade e prazer!

    Beijos!

    Ps, as vezes escuto gente que se orgulha de não saber fazer nada na cozinha, eu argumento “saber cozinhar leva você a comer melhor e mais saudável” as pessoas replicam “claro que não, vc come mto mais”! Concordo super com vc. Da minha cozinha saem os melhores pratos, mais frescos e saudáveis, e quando são hiper calóricos, valem a pena!

    Resumindo: Continue com as suas receitas cujas calorias valem cada uma!

  9. Marisa Medeiros Says:

    Concordo com vc também!!!
    Adoro tudo que vc escreve e suas receitas são maravilhosas!!!! Se são gordas, magras, com sal, com açucar, amargas, …são as suas receitas e são DELICIOSAS!!!!! bjs

  10. Lorena Borges Says:

    Acho que, como tudo na vida da gente, é uma questão de moderação. Não faço dietas loucas, porque as acho ineficazes, mas durante a semana tento comer certinho, inclusive salada, todos os dias. Primeiro porque gosto, segundo porque quero ficar bem pra enfiar o pé na jaca no final de semana! Ahahahaha! Concordo com tudinho que vc disse! Foi um desabafo muito digno! =)

  11. Maria de Menicucci Says:

    Hahaha esta semana o meu médico me colocou de dieta porque engordei vários quilos desde a última consulta. Mas mesmo estando de dieta, como que eu adoro cozinhar todos os dias os almoços daqui de casa, pesquiso as melhores receitas e que tenham muito sabor, para que eu tenha muuuito prazer em comer. E a minha família adora e as empregadas domésticas fazem a festa! De vez em quando consulto a minha nutricionista para fazer substituições inteligentes nas receitas, sem perder o sabor. Eu nem comia nada de salada, e hoje adoro as saladas que faço.

    Não gosto de comprar nada pronto e processado, prefiro que a maior parte seja caseira, inclusive faço caldos em casa como você. Pode dar um trabalhão para fazer, mas no fim eu me sinto recompensada quando sento na mesa e como, porque fica uma delícia mesmo!

    Se eu quiser comer algo mais calórico e com fritura, vou ao restaurante e sou feliz! Aqui em casa não faço nada de fritura porque é um hábito daqui cultivado há anos, mas na rua não dispenso não! Adoro um pastelzinho!

    Quando eu morava na Itália, adorava andar a pé. Ver o céu e apreciar o que estava a minha volta. Foi com os italianos que aprendi o mantra “Mangia che ti fa bene”. Infelizmente aqui no Brasil eu morro de medo de andar na rua por causa da violência. Queria poder voltar morar na Europa… Frequento a academia com um personal que faz programa de ginástica personalizada que eu goste de fazer. Nunca gostei de fazer culto ao corpo magro, prefiro um corpo mais curvelíneo e cheio de saúde. Tem mulheres tão mas tão magras que eu horrorizo, fico parecendo ser gorda perto delas mesmo não sendo gorda.

    Infelizmente as minhas sobremesas são as mais calóricas e as mais deliciosas! Adoro fazê-las nas ocasiões especiais, me sinto tão feliz vendo a turma comer. Você tem que conhecer o meu bolo de chocolate amargo!

  12. Ana Cristina Paiva Says:

    Eu acredito que quando nos tornamos leitores assíduos de um blog é porque nos identificamos com seu autor. Quando conheci o Moldando Afeto (a Juliana Scucato foi minha colega na fauldade de gastronomia e compartilhou um post seu), li avidamente e sem intervalos todos os posts anteriores. Sou fã pois as sua palavras e receitas me inspiram! bjos!

    • gpoulain Says:

      oi Ana! fiquei feliz em saber que você é leitora e que se identifica. vi seus bolos e achei todos lindos, imagino que sejam deliciosos e gordinhos também! beijo.

      • Ana Cristina Says:

        Ah, ganhei meu dia com esse comentário! Os bolos são gordinhos sim, afinal são para comemorar a felicidade de um casamento, aniversário, etc. E sentmentos positivos não combinam com diet, light, zero caloria, rs. E gostaria muito que vc provasse, vamos combinar? Bjos!

  13. Alessandra C. Martini Says:

    Olha, muito amor por esse teu desabafo. Acho que estamos vivendo um problema de falta de equilíbrio, as pessoas não sabem se cuidar E se permitir. Ou tem que ser uma coisa ou outra. Eu já fui neurótica com peso, imagem, calorias etc e sempre amei comer. Só fiquei de bem comigo e, consequentemente, com a balança e o espelho, quando percebi que eu gosto de saladas da mesma forma que amo uma mandioquinha bem frita. É só saber equilibrar!
    Como você disse, “São tantas tristezas na vida, se eu posso ser feliz, eu serei.”
    Também virei leitora assídua do blog, adoro tuas receitas (com manteiga ou não) e me identifico com muitas coisas que você coloca por aqui 🙂

  14. Elisa Barros Says:

    Nossa, concordo com absolutamente TUDO que você escreveu! Também amo cozinhar e tento fazer o máximo possível de coisas em casa. Minha alimentação é super bacana, tanto que nunca tive problemas de glicose ou colesterol. Mas não deixo de comer absolutamente nada pelo culto ao corpo. Como tudo que gosto mesmo, mas com moderação. Posso não ser magérrima mas estou longe de ser obesa. Tenho saúde, amo comer e o faço com um prazer imenso! Adoro andar a pé e o faço com frequencia! Prefiro ser um cadáver feliz do que um cadáver magro!

    PS: A comida francesa é mesmo cheia de manteiga e eles amam batata frita mais do que nós. Mas nunca comi tão bem na vida e não consegui ver um francês gordo em Paris.

  15. Lucia Cunha Says:

    Me desculpe, mas o blog é seu, voce simplesmente divide o seu trabalho conosco e quer saber, se voce fizesse receitas diet/ ligth reclamariam do mesmo jeito. Voce foi muito atencioso e educado no seu desabafo. É por essas e por outras que ainda não fiz um blog.
    Adoro o seu blog e as receitas. Por favor continue dividindo conosco, quem realmente aprecia, essas delicias culinarias.

  16. Camila Navarro Says:

    Assino embaixo! Você definiu bem a nova onda quando falou da “saudavelização da vida”. Sou a favor do equilíbrio e tenho tentado melhorar minha alimentação, principalmente cozinhando minha própria comida, mas parece que há uma neura no ar. Fiquei boba quando fui ao mercado central esses dias e vi várias lojas de suplementos alimentares. Gente, chegou a esse ponto? Shakes, whey, produtos sem glúten e sem lactose estão na moda e um monte de gente embarca nessa sem nem saber o que está comendo.

  17. Daphne Says:

    Eu não entendo muito é a crítica inútil, sabe?
    Por que ao invés de criticar a qtde de manteiga, não te perguntam se dá pra fazer com menos, ou se pode trocar por algo mais saudável? Achou que o bolo leva muito chocolate, não adianta criticar (a receita é esta!), então que tal perguntar se dá pra fazer tb com frutas?
    Eu AMO seu blog Gui! Vivo falando com Lorena que dá vontade de ser sua amiga pq sua forma de escrever é tão leve e doce… Mas não gosto de tudo que vc posta (eu tenho minhas próprias restrições e gostos, afinal)!
    Vc não é obrigado a ser uma unanimidade: ser fofo e talentoso só basta!

  18. Ana.. Says:

    🙂

  19. Delano Silveira Says:

    Aqui vai um desabafo também. Não sei se você vai ler esse comentário, mas pode ser que alguém o faça e ele sirva para alguma coisa: o problema de algumas pessoas é querer serem juízes ou dono da verdade…Essas pessoas não se controlam e não conseguem pensar que ninguém pediu a opinião delas e ninguém as está obrigando a nada! Se eu escrevo algo e alguém gosta, curta, compartilhe; mas se não gostou, ignore. É difícil conviver com essas pessoas nas redes sociais. Parece que elas estão sempre procurando assunto para iniciar um debate que não tem razão de existir! Continue escrevendo, comendo e fazendo o que lhe dá prazer. Sucesso.

  20. Mariana Says:

    E tá mais do que certo! Quem quer outros tipos de receita, pode ir procurar em outros blogs ou mesmo adaptar as suas ao gosto pessoal. Aliás, receita pra mim é isso: a gente adapta ao que tem e ao que gosta.
    Nunca vi sentido nenhum em fazer dietas super restritivas, com as quais a pessoa vive infeliz e privada do que gosta.
    Posso até estar errada, mas ninguém me tira da cabeça que essas coisas gordinhas, em moderação e dentro de uma alimentação balanceada, não são esse monstro todo que pintam por aí!
    E é bom que você continue com as suas receitas assim do seu jeitinho, pq foi ele que me fez apaixonar pelo seu blog e me encantar com a sua doçura!
    beijo grande

  21. Bettina Says:

    Liga para esse povo chato não! Continue com suas receitas maravilhosas e lindas. Aliás, estava no meu trabalho quando li a sua receita de bolo gordo, corri para a lanchonete aqui perto e saboreei um delicioso pavê de amendoim ( não tinha o seu bolo gordo…rsrs). Seu trabalho é caprichado, as comidas divinas e seu talento especial.
    Um beijo muito carinhoso!!

  22. Says:

    Brilhou!!! Viva os pequenos prazeres da vida!!!! Viva!!!!

  23. Rita Says:

    Posso dar uma opinião???
    O blog é teu, e a proposta do que vai colocar aqui é tua…as pessoas que te ‘lêem’ tem o livre arbitrio de querer testar as receitas ou não.
    Acho que vc e suas cartas amarelas são maiores do que recitas culinárias…aqui vc relata muito mais do que ensinar a cozinhar. Ótimo…teremos receitas para testar, amar e deliciar mas tudo o que vc escreve das tuas experiencias é tão bom de ler.
    E é como já postei nos comentários um tempo atrás…você devia era publicar um livro com suas experiencias e reflexões. Você escreve muito bem e transmite sentimentos muito bem.
    Está é de parabéns pelos seus posts e continue com a TUA proposta…ninguém é obrigado a ler, a fazer suas receitas, a comer tua comida…se o fazemos é porque também queremos e adoramos ter este momento de prazer ao ler suas coisas, em testar tuas receitas.
    Espero que vc realize todos os seus sonhos e que nos brinde mais e mais com suas delicias.
    Abrços

    • gpoulain Says:

      e as cartas amarelas são o que tenho mais prazer em escrever! adoro fazer reflexões do que vejo na vida e gosto de saber que tem gente que também gosta e tem sentimentos semelhantes perante a vida. abraços!

  24. Thaís Says:

    Acho que as pessoas deveriam respeitar as escolhas de cada um. Eu vivo em dieta e amo minha vida assim. Aprendi a ter consciência do que como e da quantidade que meu corpo precisa. Minhas amigas dizem que não conseguiriam fazer uma dieta como eu faço e eu não julgo ninguém, sabe. A vida é feita das nossas escolhas, elas escolheram sentir sempre que quiserem o prazer da comida, eu escolhi sentir prazer em me olhar no espelho. Não que eu estivesse gorda, ou que quem é gorda necessariamente deve emagrecer, mas EU tenho objetivos para o meu corpo que não são possíveis de atingir comendo tudo o que quero. Porque sim, eu amo comer tudo o que você posta aqui, tanto que seu blog está na minha barra de favoritos há muito tempo! Mas eu amo muito mais chegar no fim do mês e ver que cheguei na meta que estabeleci, sentir que venço um vício (que estava me controlando totalmente) todas as vezes que recuso um brigadeiro, um sorvete, uma torta. Pra mim o melhor de tudo é saber que eu não preciso, embora ame, de todas essas “comidas gordas” para viver! Antes eu pensava que não conseguiria ficar um dia sem comer chocolate, sem tomar refrigerante, e hoje são duas coisas que não me fazem falta. Eu me sinto muito mais completa assim, amo quando estou seguindo a dieta e chegando mais perto dos meus objetivos, amo os dias que posso sair da dieta e comer meus brigadeiros, amo cozinhar e inventar tanto na dieta, quanto no “lixo”, e principalmente amo o resultado de tudo isso no espelho. Sabe, não é só uma questão exterior, de estética. É vencer os seus medos, se recuperar dos vícios, é a cada dia ganhar uma batalha contra a falta de tempo, a preguiça, a compulsão, é ter plena consciência de cada parte do seu corpo e de tudo o que você faz por ele. Então, EU sou feliz assim, muita gente não entende e não respeita, sei que não é seu caso. E também respeito e concordo com muito do que você disse. Acho que se todo mundo estivesse mais preocupado em fazer bem a si mesmo, e às pessoas próximas, não teriam feito esses comentários, nem seria necessário que você desabafasse sobre isso. As pessoas precisam aprender a parar de rotular as outras, ou você é gordo e feliz, ou você é magro e frustrado! E não é bem assim, tudo na vida é a eterna busca do equilíbrio!

  25. Rosa Says:

    Gui,dane-se estes chatos de plantão. Sempre vai haver este tipo de babacas. Me desculpe a deselegância do comentário, mas tem coisa que enche o saco mesmo. Amo seu blog!

  26. larissa Says:

    Nada contra aos malucos malhadores de plantão, mas um brigadeiro, um pedaço de bolo, uma batatinha frita e uma coxinha fazem SIM a vida mais feliz!
    Prefiro de lanche uma pedaço de bolo com geleia a uma barrinha de cereal cheia de sódio e conservantes! o que importante é o quanto a gente come!!! tudo na vida depende de equilíbrio!

  27. Lou Cristina Says:

    Continue sendo gordo, colocando receitas gordas … não se importe com essas pessoas. Suas receitas são maravilhosas 🙂 . Parabéns pelo trabalho, é inspirador acompanhar histórias de quem você vê que ama o que faz. Beijo da gorda!

  28. Paula Says:

    Adoreiii! Já adorava o site, as receitas,…agora virei sua fã!

    beijos,
    Paula

  29. Nicole Says:

    Amei.

  30. Mariana Vieira Says:

    Adorei!!!! Cansei de ver fotos de batata doce nas redes sociais! Assim como você, não sou adepta ao exagero, mas e o prazer em comer?? Cadê?!

  31. Luana Degrande Says:

    Vez ou outra entro no seu blog, adoro o modo simples e bonito como vocês escreve, parabéns pelo texto!!!
    AMO comer e compartilho da sua opinião 🙂
    Abraços

  32. Simone Drumond Says:

    É isso Gui, nem 8 nem 80 e além do mais cada um sabe o que lhe cai melhor. Beijo

  33. Clarissa Peixoto Says:

    Domingo de páscoa eu passei de manhã em frente a uma academia lotada! Era sol, a praia estava a metros dalí. Ninguém foi fazer exercício lá, mas sim trancado no ar condicionado num domingo de encontro familiar. Por que? Onde chegamos?
    Outro dia botei no meu facebook que o gás acabou quando eu cozinhava o macarrão. Meu pai me ligou para perguntar porque eu iria comer macarrão. Respondi: era integral! Nossa! Aonde chegamos mesmo!

  34. Sobre dietas e afins | Blog da Paty Says:

    […] segundo é um desabafo de um blogueiro de culinária. Ele tem recebido diversas críticas às suas receitas, pois, segundo alguns leitores, são ricas […]

  35. Natalia Resende Says:

    se estivéssemos conversando cara a cara, levantaria nesse momento para bater algumas palmas para você e esse post! haha
    desabafo mais do que necessário, concordo tim tim por tim tim!

    não sei se você sabe, mas no último semestre perdi 16kg com a ajuda da Fernanda, a mesma nutricionista que agora acompanha a Lu.
    fizemos várias dietas diferentes combinando todos os tipos de alimentos, dando preferência para produtos naturais ou comidinhas que eu mesma poderia fazer em casa. precisei restringir (não eliminar) alguns itens bem tentadores durante esse período, mas sem sombra de dúvida, valeu a pena demais!

    emagrecer é bom, ser saudável é melhor ainda, mas hoje estou criando uma consciência pessoal de que, pelo menos pra mim, comer é um dos grandes prazeres da vida, e eu não pretendo abdica-lo tão cedo, e nem preciso.
    procuro manter uma vida equilibrada, intercalando as saladinhas e sanduíches saudáveis com meus chocolates e quitutes de sempre. não tem muito segredo, é só saber viver a vida sem cobranças demais, sem ditadura do peso e da beleza!

    quanto ao seu blog, tô me deliciando com os posts! desde os gordinhos (particulamente, meus preferidos) até os mais comportados!
    não dê bola pros reclamões e continue com essa felicidade toda, Gui!

  36. raquel Says:

    Concordo plenamente! As pessoas precisam ter EQUILÍBRIO! Ninguém aguenta mais essa história de #projetos! Assim como ninguém aqui incentiva a obesidade… Chega de radicalismos!

  37. Bianca Coelho Says:

    Gui, eu adoro seu blog, mas vc me ganhou completamente ao emitir sua opinião sobre isso.
    Eu prezo e prego muito o equilíbrio pois nasci em uma TFM -Tradicional Família Mineira – onde vc bem sabe, carne servida à mesa em qualquer refeição é a máxima, mas já fui casada com um vegan, por exemplo. E eu acredito que qualquer extremo não é bacana. nem demais, nem de menos.
    Sou uma pessoa magra e que sempre teve “problemas” com a comida. Não pq o problema existia, mas pq as pessoas viam problema na quantidade que eu comia (e ainda como, desde criança a mesma quantidade).
    Eu não sei comer de gula, mas eu sei saborear cada molécula do que como e dou muito valor a isso. Pra mim é simples assim: como o que quero, quando quero e porque quero, pelo simples fato de que meu corpo é meu e eu o alimento da maneira como eu acho melhr, mas busco equelíbrio. Depois de trabalhar 15 horas por dia, como o quanto de chocolate meu corpo aguentar e sem culpa.
    As pessoas precisam entender que o que faz mal é a culpa, não a comida.
    Por isso, agradeço muito por este post e por mais uma menção ao equilíbrio para vida.

  38. Amanda Mormito Says:

    dios! pq não te conheci qdo tu ainda morava aqui em bue? assino embaixo em td q vc disse 🙂

  39. Laura Says:

    Nossa! É exatamente o que eu tenho pensado nos últimos meses! Essa necessidade de comidas sem nada de gordura, glúten e açúcar não pode ser tão saudável. Faz mal pra cabeça. Alguém que passa o dia pensando nas proteínas e nos “treinos” e se entupindo de produtos industrializados. Acredito muito no equilíbrio e apoio totalmente os bolos gordinhos e as frituras de vez em quando. Faz bem pra alma e a gente se sente leve, mesmo estando com a barriga cheia. hehe

  40. Gabi Pedreira Says:

    Comida não representa apenas uma quantidade de calorias, comida é afeto! Coisa que parece andar meio fora de “moda”. Como é bom poder receber amigos queridos ao redor da mesa… deixar a casa cheirando a bolo para o aniversário dos filhos.. quer coisa melhor do que uma xícara do seu delicioso chocolate quente naquelas noites frias? … O que é vida saudável? O almoço em que a única coisa que importa são as calorias ou o almoço feito em casa com carinho não importando o número de calorias?! Parabéns pelo post! Parabéns pelas receitas! Bjos. Gabi

  41. Danielle Ribeiro Says:

    Adorei o texto! Como diria o crítico culinário Josimar Melo ” Prefiro ser um cadáver feliz, a ser um cadáver saudável!”

  42. #chegadedieta | Says:

    […] de cair nesse texto, e achei que deveria compartilhar aqui. Já falei antes sobre o tema, num desabafo. Muita gente ainda me pede muita receita de dieta, e aqui no blog eu gosto de postar receitas que […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: