carta amarela #33 – quarto frio

Paris, 12 de setembro de 2012

Queridos amigos,

Não sei por onde começar. Bom, talvez eu saiba. Quero me desculpar pelo sumiço, pela falta de respostas, pelas cartas escassas. O assunto é um só nas últimas três semanas: eu trabalho, eu durmo, eu trabalho, eu durmo, eu trabalho, eu durmo. Eu trabalho, eu trabalho.

Nunca me senti tão exausto. Não reconheço minhas mãos. Antes macias, nelas residem hoje uma quantidade enorme de bolhas vermelhas, cortes pequenos, pele descascada e inchada. Quase o mesmo acontece com o pé. As bolham brotam, as unhas encravam. As pernas bambas. A coluna ardente. No rosto a total falta de vaidade. A barba que por anos emoldurou meu rosto não existe mais. As olheiras, profundas.

Eu já sabia que profissão cozinha nunca seria fácil. Passo o dia subindo e descendo escadas com sacos de farinha e açúcar, caixas de frutas. Passo correndo pela cozinha enorme. Não se pode esperar nem os 10 segundos da manteiga amolecendo no microondas. As 10 horas seguidas assim são exaustivas, mas ao mesmo tempo emocionantes. Essas horas ali voam. Entre quilos e mais quilos de pâte-à-choux feitas, assadas, recheadas e decoradas, resido ali num pedacinho da cozinha. Entre mini tortas de morango, framboesa. A cozinha, no fundo, emite uma beleza extraordinária.

Pela primeira vez me vi pensando em francês. Assim, sem pensar em português e traduzir. Vi-me fazendo automaticamente várias eclairs. Vi-me virando um ‘ás’ no saco de confeitar. Vi crianças na pâtisserie com sorrisos de fondant au chocolat que eu mesmo fiz.

E, exausto, quando o sorriso queria ficar amarelado ou sumir de vez, desci todos os dias para casa a pé. E, talvez ali eu realmente senti Paris como aquela moça do filme do Alexander Payne. O 20ème é todo pintado, rabiscado. E cada uma daquelas artes me fez sorrir, instagramar e embalar os sonhos mais profundos.

O brilho nos meus olhos? Ah, esse nunca vai faltar.

Um beijo pela metade, de quem dormiu no meio do caminho,

Gui

Anúncios

Tags:

20 Respostas to “carta amarela #33 – quarto frio”

  1. niltim Says:

    Não sei se estou muito sensível, mas esse relato me soou tanto quanto emocionante. Que seu suor se transforme em vapores de energia de produção nesse ar de Paris. Obrigado por esse seu tempo de nos dar atenção assim. Força e abraço!

  2. thiagoloreto Says:

    vous emballera nous tous, Gui ♥

  3. Priscila Marcenes Says:

    “Vi crianças na pâtisserie com sorrisos de fondant au chocolat que eu mesmo fiz.” ❤ ❤

  4. Priscila Marcenes Says:

    “Vi crianças na pâtisserie com sorrisos de fondant au chocolat que eu mesmo fiz.” – gratificante ❤ ❤

  5. Mayk Lourenço Says:

    Certeza de que todo este esforço lhe trará tudo de melhor que este mundo tem a lhe oferecer. Força Gui ❤

  6. Agnes Dussaud Says:

    Un instant de bonheur de lire, de déguster et d’admirer le regard d’un Mineiro à Paris, merci et bravo pour le boulot
    uma françesa em BH

  7. Camila Says:

    A cada carta que leio, me apaixono mais por suas palavras!!!

  8. Caio Brandão Says:

    Fiquei emocionado. É lindo ver como vc está feliz e moldando afeto a sua volta. Não perca o essencial que vc mesmo escreveu Gui:

    “O brilho nos meus olhos? Ah, esse nunca vai faltar.”

    Que cada dia exaustivo seja ainda mais mágico. =]

  9. Rosa Says:

    Gui, plagiando o Vando:” você é luz. É raio estrela e luar”…
    Que este brilho nunca se afaste da tua vida,contagiando a nós todos, tenha certeza disto.
    Muita saúde, força, paz, doçura em teu coração e $$$$,pq não? rsssss..

  10. Lara Torrezan Says:

    Gui, que engraçado sentir que conheço alguém que não conheço, apenas por ler suas palavras tão cheias de afeto. Torço por você e desejo sua felicidade como a um amigo querido, espero que você siga com o brilho no seu olhar e um sorriso na boca no fim do dia de trabalho. Abraceijos :*

  11. Lara Torrezan Says:

    Gui, que engraçado sentir que conheço alguém que não conheço, apenas por ler suas palavras tão cheias de afeto. Torço por você e desejo sua felicidade como a um amigo querido, espero que o brilho continue no seu olhar e que o sorriso não saia da sua boca no fim do dia cansativo de trabalho, que seja recompensador. Abraceijos :*

  12. Tereza Naves Says:

    Gui neto querido
    saudades …
    para q. tanta exastão>>>
    Sei q. dá o melhor de Si …
    Bolhas nos pés ……
    Afeto sempre
    21/09/2012

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: